Provérbios

Capítulo: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31

0:00
0:00

Capítulo 4

Ouvi, filhos, a correção do pai e estai atentos para conhecerdes a prudência.
2 Pois dou-vos boa doutrina; não deixeis a minha lei.
3 Porque eu era filho de meu pai, tenro e único em estima diante de minha mãe.
4 E ele ensinava-me e dizia-me: Retenha as minhas palavras o teu coração; guarda os meus mandamentos e vive.
5 Adquire a sabedoria, adquire a inteligência e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca.
6 Não desampares a sabedoria, e ela te guardará; ama -a, e ela te conservará.
7 A sabedoria é a coisa principal; adquire, pois, a sabedoria; sim, com tudo o que possuis, adquire o conhecimento.
8 Exalta -a, e ela te exaltará; e, abraçando -a tu, ela te honrará.
9 Dará à tua cabeça um diadema de graça e uma coroa de glória te entregará.
10 Ouve, filho meu, e aceita as minhas palavras, e se te multiplicarão os anos de vida.
11 No caminho da sabedoria, te ensinei e, pelas carreiras direitas, te fiz andar.
12 Por elas andando, não se embaraçarão os teus passos; e, se correres, não tropeçarás.
13 Pega-te à correção e não a largues; guarda -a, porque ela é a tua vida.
14 Não entres na vereda dos ímpios, nem andes pelo caminho dos maus.
15 Evita-o; não passes por ele; desvia-te dele e passa de largo.
16 Pois não dormem, se não fizerem mal, e foge deles o sono, se não fizerem tropeçar alguém.
17 Porque comem o pão da impiedade e bebem o vinho das violências.
18 Mas a vereda dos justos é como a luz da aurora, que vai brilhando mais e mais até ser dia perfeito.
19 O caminho dos ímpios é como a escuridão; nem conhecem aquilo em que tropeçam.
20 Filho meu, atenta para as minhas palavras; às minhas razões inclina o teu ouvido.
21 Não as deixes apartar-se dos teus olhos; guarda-as no meio do teu coração.
22 Porque são vida para os que as acham e saúde, para o seu corpo.
23 Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, porque dele procedem as saídas da vida.
24 Desvia de ti a tortuosidade da boca e alonga de ti a perversidade dos lábios.
25 Os teus olhos olhem direitos, e as tuas pálpebras olhem diretamente diante de ti.
26 Pondera a vereda de teus pés, e todos os teus caminhos sejam bem ordenados!
27 Não declines nem para a direita nem para a esquerda; retira o teu pé do mal.