Capítulo: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42

0:00
0:00

Capítulo 22

Então, respondeu Elifaz, o temanita, e disse:
2 Porventura, o homem será de algum proveito a Deus? Antes, a si mesmo o prudente será proveitoso.
3 Ou tem o Todo-poderoso prazer em que tu sejas justo, ou lucro algum em que tu faças perfeitos os teus caminhos?
4 Ou te repreende pelo temor que tem de ti, ou entra contigo em juízo?
5 Porventura, não é grande a tua malícia; e sem termo, as tuas iniquidades?
6 Porque penhoraste a teus irmãos sem causa alguma e aos nus despojaste das vestes.
7 Não deste água a beber ao cansado e ao faminto retiveste o pão.
8 Mas para o violento era a terra, e o homem tido em respeito habitava nela.
9 As viúvas despediste vazias, e os braços dos órfãos foram quebrantados.
10 Por isso, é que estás cercado de laços, e te perturbou um pavor repentino,
11 ou trevas, em que nada vês; e a abundância de águas te cobre.
12 Porventura, Deus não está na altura dos céus? Olha para a altura das estrelas; quão elevadas estão!
13 E dizes: Que sabe Deus disto? Porventura, julgará por entre a escuridão?
14 As nuvens são o escondedouro dele, para que não veja; e ele passeia pelo circuito dos céus.
15 Porventura, consideraste a vereda do século passado, que pisaram os homens iníquos?
16 Eles foram arrebatados antes do seu tempo; sobre o seu fundamento um dilúvio se derramou.
17 Diziam a Deus: Retira-te de nós. E: Que foi que o Todo-poderoso nos fez?
18 Ora, ele enchera de bens as suas casas; pelo que, longe de mim o conselho dos ímpios!
19 Os justos o viram e se alegraram, e o inocente escarneceu deles,
20 dizendo: Na verdade, os ímpios foram destruídos, e o fogo consumiu o resto deles.
21 Une-te, pois, a Deus, e tem paz, e, assim, te sobrevirá o bem.
22 Aceita, peço-te, a lei da sua boca e põe as suas palavras no teu coração.
23 Se te converteres ao Todo-poderoso, serás edificado; afasta a iniquidade da tua tenda.
24 Então, amontoarás ouro como pó e o ouro de Ofir, como pedras dos ribeiros.
25 E até o Todo-poderoso te será por ouro e por prata amontoada.
26 Porque, então, te deleitarás no Todo-poderoso e levantarás o teu rosto para Deus.
27 Tu orarás a ele, e ele te ouvirá; e pagarás os teus votos.
28 Determinando tu algum negócio, ser-te -á firme, e a luz brilhará em teus caminhos.
29 Quando te abaterem, então, tu dirás: Haja exaltação! E Deus salvará ao humilde
30 e livrará até ao que não é inocente; sim, ele será libertado pela pureza de tuas mãos.